My Irreversible Point of View

Unfortunately freedom of speech is not totally respected in some parts of the world. That is why I decide to express my point of view in the name of those who are not allowed to express themselves. STAND UP, SPEAK UP! STOP THE TRAFFIK

Friday, March 24, 2006

Goodbye, Islam! Hello, Christianism!

.
Parece-me que o caso de Abdul Rahman está associado a um novo choque de civilizações, isto é, um fosso cada vez maior entre países modernos e a Idade Média.
Trata-se de um senhor afegão que foi detido e julgado por ter renunciado ao Islão e ter abraçado o Cristianismo de livre vontade. Este facto constitui um crime punível com a pena de morte segundo a lei islâmica sharia.
O que realmente me supreende é o facto de ter sido a própria família de Abdul Rahman a denunciá-lo à justiça afegã, que terá agora de decidir-se pela tradição islâmica mais radical ou pela democracia que o governo de Hamid Karzai prometeu implementar depois da guerra.
O Presidente Hamid Karzai garante que o assunto está a ser tratado com o procurador-geral do Afeganistão e que Rahman não será executado. No entanto, um dos juízes do processo afirmou que justiça afegã não cederá a pressões internacionais.
A imprensa internacional manifesta-se chocada com este caso e questiona se realmente os ocidentais possuem a capacidade de influenciar um regime (supostamente democrático) que eles próprios instalaram. "Qual é o interesse dos Estados Unidos de instalarem um governo em pleno Afeganistão se este nem parece respeitar os direitos humanos?", interroga o New York Times face à detenção de Abdul Rahman, um afegão de 41 anos convertido ao Cristianismo.
Se as dozes caricaturas publicadas por um jornal independente dinamarquês serviram de pretexto aos muçulmanos radicais para atacarem embaixadas de países europeus e se manifestarem contra o Ocidente, porque é que os afegãos, ao saberem que Rahman poderá ser executado, respondem ao Ocidente para não se meterem em tal caso? Eu só vejo uma resposta a esta pergunta: os muçulmanos acham-se donos do universo e crêem que os princípios islâmicos poderão salvar a Humanidade, o que acho completamente ridículo e anti-islâmico. Eu diria que salvar a Humanidade corresponderia à sua aniquilação total.
Segundo a sharia, um indivíduo ateu ou de diferente religião que venha a casar com um indivíduo muçulmano é obrigado a abraçar o Islão. A sério? E porque é que o indivíduo muçulmano não poderá converter-se a uma diferente religião ou até mesmo ser ateu? Pois é, caros amigos. Já me tinha esquecido que a famosa e a grande sharia constitui uma lei universal, inalienável, incontestável e perfeita. Se alguém consegue descodificar a minha bela ironia, estarão com certeza a pensar que eu repudio totalmente o carácter despótico, fundamentalista e tirânico da miserável sharia. Eu não sou nem serei a única a pensar desta forma.
Eu sou católica e o meu companheiro é ateu. Não me incomoda o simples facto de ele ter abraçado o ateísmo, até porque nós os dois temos ideais de vida muito parecidos e, da mesma forma, defendemos semelhantes princípios e condutas morais, sobretudo no que se refere ao Bem e ao Mal. Porque teria ele de se converter à minha religião sem o seu consentimento? E se, por exemplo, eu me tivesse convertido ao budismo ou quisesse ser ateu de livre vontade, porque haveria eu de ser punida pelo Vaticano, ou simplesmente executada? Os tempos da Inquisição lá se foram e, creio eu, nunca mais ganharão terreno em países católicos, quer queiram quer não queiram. Creio em Deus e creio, sobretudo, na minha liberdade e dignidade enquanto jovem, estudante, católica, portuguesa, macaense, apaixonada, revolucionária... enquanto SER HUMANO! I believe in my strenght as a woman, as a human being.
Nos países ocidentais constroem-se mesquitas, pratica-se a liberdade de culto e, no entanto, estivémos prestes a ceder à chantagem que nos foi feita por causa de umas caricaturas. Em contrapartida, nos países muçulmanos, os fiéis de outras religiões são perseguidos, os convertidos são presos ou até mesmo executados. O que os europeus fizeram no passado, os muçulmanos fazem-no no presente, e a tendência é para que isso dure para sempre. Enquanto no Ocidente se verifica uma progressiva modernização social, nos países islâmicos domina-se a reprodução social perpétua.

Abdul Rahman, welcome to Christianism! May God bless you always!
I will be waiting for your release and freedom as a christian and, most important of all, as a human being!

1 Comments:

  • At June 14, 2006 1:14 AM , Blogger dealar786 said...

    a cahria e uma forma de vida para cerca de dois bilioes de pessoas e tratar de uma forma tao radical, como foi expressada, nao e sensato nao e respeitar,nem aceitar essa forma de vida.

    qnt a charia ha que saber certas e determinadas coisas que n foram tidas em contas e o que se paxa numa cultura nao e de forma tao exacta o que afirma o islao portanto sera benefico antes de afirmacoes tao radicais procurares fontes seguras e moderadas sobre o verdadeiro caracter do islamismo.

     

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home