My Irreversible Point of View

Unfortunately freedom of speech is not totally respected in some parts of the world. That is why I decide to express my point of view in the name of those who are not allowed to express themselves. STAND UP, SPEAK UP! STOP THE TRAFFIK

Friday, March 28, 2008

O Movimento Islâmico do Turquestão Oriental

.

Um dos trabalhos académicos que estou a realizar neste momento tem como objecto de estudo o Movimento Islâmico do Turquestão Oriental (ETIM[1]), grupo separatista que opera na província chinesa de Xinjiang[2], e cujos militantes pertencem à etnia uigur, de origem túrquica. Considerado pela República Popular da China como uma verdadeira ameaça à estabilidade, pelo menos aparente, do país, principalmente a partir dos atentados de 11 de Setembro de 2001 em nome do Islão, os quais lançaram um clima de medo, ódio e o consequentemente combate a tudo o que estivesse relacionado com o extremismo islâmico, o ETIM passou a constar da lista das organizações terroristas em 2002. No entanto, não existem nem têm sido publicados estudos aprofundados e sistemáticos acerca deste novo grupo terrorista islâmico, muito menos em território nacional chinês, onde a censura e a repressão tendem a abafar constante e incontrolavelmente aqueles assuntos que reflictam uma imagem negativa do regime de partido único chinês.
Deste modo, o presente trabalho, mais concretamente um case-study, se é assim que se pode dizer, constitui uma tentativa de proporcionar um conjunto interessante de informações, tendo em conta a abordagem histórica do povo túrquico, assim como questões étnicas e religiosas associadas à causa uigur que muito contribuíram para a formação e posterior fortalecimento de um movimento fundamentalista islâmico actuante na China com ligações à Al-Qaeda e, de certa forma, partilhando com esta a ideologia jihadista. Trata-se, no fundo, de um problema interno que a República Popular pretende unilateralmente eliminar a todo o custo, embora tenha necessidade do apoio da Organização para a Cooperação de Xangai, criada em 2001, de que é membro.
O essencial do trabalho procura, na sua generalidade, reflectir sobre o fundamentalismo islâmico, enquanto ideia de que os fundamentalistas são fiéis defensores da shari’a (a lei islâmica), procurando, pois, pôr em prática todas as normas definidas por aquela e afastando do paradigma de Estado laico. O afastamento de tal paradigma constitui o principal objectivo do ETIM, que luta pela criação de um estado islâmico, ou seja, República Islâmica do Turquestão Oriental ou República do Uiguristão.

[1] East Turkestan Islamic Movement.
[2] Mais concretamente conhecida por Região Autónoma de Xinjiang-Uigur.
.
Nota: A bandeira Kokbayraq (muito parecida com a da Turquia, como vemos na imagem) é utilizada pelo povo uigur, em geral, e pelo ETIM, em particular, enquanto símbolo do movimento independentista do Turquestão Oriental.

1 Comments:

  • At August 04, 2008 1:13 PM , Anonymous Sérgio said...

    Olá, apenas queria saber a tua opinião em relação a esse grupo independentista. Compreensiva, solidária ou nem por isso. Afinal a China tem o direito de manter sob a sua égide povos que já mostraram não estar interessados em serem Chineses? Realmente levantas uma questão interessante, como é que os outros países da ásia central conseguem conviver com isso. Bom estudo.

     

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home